As melhores coisas do mundo.

1. A melhor coisa do mundo é um Keep Cooler gelado, sabor morango, enquanto assiste o Rob Thomas cantar Long Day.

2. É achar o pacotinho de Ferrero Rocher que você comprou na padaria, três dias atrás

3. É pedir, na mesma padaria, 300 gramas de coxinha e elas estarem absurdamente quentes.

4. Dormir doze horas por dia

5. Tentar marcar de sair com um amigo que eu não vejo a seis anos.

if…

I bet you’re hard to get over. I bet the room just won’t shine. I bet my hands I can stay here. I bet you need, more than you mind.

I think you’re so mean, I think we should try, I think I could need this in my life.
I think I’m just scared that I know too much, I can’t relate and that’s a problem I’m feeling.

If you’re gone, maybe it’s time to come home
There’s an awful lot of breathing room but I can hardly move
If you’re gone, baby you need to come home
There’s a little bit of something me in everything in you

É o que tem pra hoje. E pra sei lá até quando.

Fake terapia.

– E o que te traz aqui?

– Sabe, eu me formo em um mês. Em um mês, os quatro anos e dois meses mais longos da minha vida vão acabar.

– E isso é bom. Uma fase completa, essas coisas.

– Não, você não tá entendendo. Quatro anos. Nem meu namoro durou tanto. E olha, eu não sei o que eu fiz. Ou o que eu faço. Eu tô perdida. Totalmente. Não sei se vou embora. Se fico. Se luto. Se jogo.

– São 4 anos, talvez você precise de paz.

– Paz? MAS O QUE PORRA É PAZ? Eu nunca tive paz antes. Como eu vou ter paz agora?

Tem coisas que nem seu fake terapeuta consegue responder.

awakening

Eu nunca fui tão medrosa.

Ao menos nunca tive aqueles medos de ‘mulherzinha’, como baratas. Mato mesmo e jogo fora. Só não gosto de sapo. Sabe como é, gelado e viscoso…

Meu único medo é de não ser feliz.

Lembro de falar isso pra meu antigo (sdds) terapeuta. ‘Tenho medo de não ser integralmente feliz. Até por que nunca fui’.
Ele riu.

Podia ser o bichinho da bipolaridade. Mas não sei, não sei. Acho que algumas pessoas não nasceram para ser integralmente felizes. Tipo escritores – e, vez ou outra, eu gosto de me observar como uma. Mas ainda penso que eu queria. Só um pouco. Pra saber como é.
Ainda bem que não sou dessas mal agradecidas com a vida.

A tristeza faz parte. Mas sempre existe chocolate.