Afoita

Hoje acordei com saudades.

É muita afoitesa de minha parte escrever um texto para alguém que é personagem de tantos outros… Mas afoita eu sempre fui.

Sinto saudades dos cafés da manhã. Do abraço sempre apertado e carinhoso. Das paixões compartilhadas e das que eu aprendi a amar por causa de Mariana.

Sinto falta de quantas lágrimas a gente chorou. E de quantos risos soltos, que ecoavam pelo museu.

Se Mariana fosse uma melodia, ela seria “Primavera”, do Vivaldi. Quem a conhece, sabe o motivo.

Mais do que uma amiga, eu virei uma aprendiz. Eu uso creme para as mãos, até. De lavanda. Da Granado.
E isso é muito Mariana.

Aprendi tanto. Ainda bem.

A mestre foi muito boa.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s