Fechando a porta pra Plutão.

Dai que meu primo é astrólogo.

Pras pessoas normais, ok, massa, que legal um primo astrólogo. O problema é quando você tem um primo astrólogo & dramático.

Acontece que esse ano novo, fui pra casa dele comemorar o aniversário de Fred – que é dia 01. Subimos pra cobertura para ver os fogos de artificio. E lá, meu primo astrólogo & dramático me diz:
‘você sabe que tem plutão na casa do casamento’.

Ai eu parei.
Ali, meia noite e poucos minutos, eu ouço – mais uma vez, mas eu sempre esqueço – que plutão, na hora que eu nasci, resolveu fincar os pés na minha vida conjugal. Isso explica meus últimos relacionamentos frustrados? Isso explica o simples fato de eu abolir a ideia de ter filhos?

Mas, como nada é só problema, ele continua:
‘Mas você tem vênus, o sol, mercúrio e urano na casa do trabalho’.
A beleza, a grandeza, a esperteza e a loucura tudo ali, junto, azulzinho da silva sorrindo no meu mapa astral.

E esse ano eu vou fazer seleção de mestrado. Vamos ver se esses 4 juntos servem de alguma coisa, por que se Plutão bater na minha porta… eu jogo meu cérbero imaginário nele. E dai a gente vê o que é bom pra tosse.

OBS ALEATÓRIO: Um beijo pro casal de prato feito que reclama de atualização ❤

Anúncios

Feriadismos

1. Comi parte do meu ovo de páscoa logo hoje, pra aproveitar alegrias de graça.
2. Lavei uma cacetada de sapato, não me chamem pra sair pois eu não tenho quase nenhum seco pra compensar.
3. E vendi sapatos. Veja só! E desse escambo vai chegar um salto alto. Vamos ver o que nisso vai dar.
4. Aproveitei pra ‘tachar’ mais coisas que eu tinha. Tô tachando tudo. Me sinto a receita federal.

e que saudade de escrever longos textos estranhos.

Tempo, tempo, tempo, já diria Caetano Veloso. Esse acordo entre nós precisa sair. Logo.

4

3805445149_ddc78516d0_o

Quatro anos que eu fui e voltei.

Difícil. Principalmente por que eu nunca senti alegria desse jeito. Sou uma das poucas pessoas que eu conheço que já realizou o grande sonho de uma vida. Isso eu já vivi pra dizer como é.

E eu PRECISO viver de novo.

Sinais do fim dos tempos

1. Eu não consigo dormir (dormir = coisa que eu mais amo fazer na vida).

2. Um Papa formado em alguma coisa – em Química – que ainda decide ser padre/papa. 

3. Gente mal educada em ônibus, deixa idoso, deficiente, duende, elefante, senhora carregando criança em pé. 

4. André Mattos ainda tá vivo? 

5. Já disse que não consigo dormir?

 

eu te dou o meu coração.

Olha, deixe de sua safadeza. Eu fico, o tempo todo, lembrando que é só onde eu nasci/estudei/trabalhei, porque nem morar em Recife eu moro.

Mas tu agarra, Recife. Agarra e não solta.

Agarra toda vez que eu caminho e me pego observando os detalhes. Os prédios, o calor, as pessoas, a melodia. Lembro quando eu tava andando, um dia antes da minha última viagem ao Rio, sentia um pouco de nostalgia. E, atravessando a Ponte de Ferro, parei.
Pra quê diabos eu ia embora?

Carregas toda a beleza do mundo. Aliás, carregas o mundo inteiro. Inteiro, porque somos megalomaníacos.

Não ligue pra quando eu reclamo. Reclamo eu e muita gente. Mas sabes que te amo.

E sabes que eu vou mas, secretamente, eu volto.

“Meu coração vai nas águas do rio…”