Lição do dia

– Ouça, Virgínia, é preciso amar o inútil. Criar pombos sem pensar em comê-los, plantar roseiras sem pensar em colher rosas, escrever sem pensar em publicar, fazer coisas assim sem esperar nada em troca. A distância mais curta entre dois pontos pode ser a linha reta, mas é nos caminhos curvos que se encontram as melhores coisas. Este céu que nem promete chuva. Aquela estrelinha que esta nascendo ali… Está vendo aquela estrelinha? Há milênios não tem feito nada, não guiou os Reis Magos, nem os pastores, nem os marinheiros. Não fez nada. Apenas brilha. Ninguém repara nela porque é uma estrela inútil. Pois é preciso amar o inútil porque no inútil esta a Beleza. No inútil está Deus.
Virginia apertou o ramo de rosas contra o peito. “Inútil é o amor que eu tenho por você”, quis dizer-lhe.
Não disse.

 

(Ciranda de Pedra, de Lygia Fagundes Telles)

 

Anúncios

2 respostas em “Lição do dia

  1. Sempre me perguntam porque eu não tento ganhar dinheiro com o blog, ou porque eu perco meu tempo se não vai e trazer nada em troca. A resposta é muito simples: Porque me faz feliz. Queria pensar mais assim, com muitas outras coisas.

    • Pois é. Não que eu não queira ganhar dinheiro, por exemplo, escrevendo livros. Ou comendo batata frita. Mas, vou continuar escrevendo livros e comendo batata frita com dinheiro ou não (apesar de que as batata fritas, eu devia parar…). Um passo de cada vez. E com um sorriso sempre que der um passo a frente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s